Especial Rio 2016, Legado Ambiental: PNUMA está otimista quanto ao legado de sustentabilidade dos Jogos

legados ambiental e sustentável que serão gerados pelas Olimpíadas do Rio de Janeiro. "A expectativa é muito positiva"

O diretor executivo do PNUMA, Erik Solheim, ao lado de Denise Hamú (PNUMA Brasil, esquerda) e Tania Braga (Rio 2016): expectativa positiva quanto ao legados ambiental e sustentável que serão gerados pelas Olimpíadas do Rio de Janeiro. Foto: UNEP-ROLAC Brazil Office

Por Antonio Carlos Teixeira, editor do blog TerraGaia 

Em sua primeira viagem oficial como diretor executivo do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o norueguês Erik Solheim disse que está muito otimista quanto aos legados ambiental e sustentável que serão gerados pelas Olimpíadas do Rio de Janeiro. “A expectativa é muito positiva”, disse ele.

Solheim afirmou também que esportes e ações sustentáveis são “absolutamente” grandes aliados para o crescimento da consciência de cidadania, não apenas para os cariocas, mas também para todos os brasileiros e cidadãos globais.

Ex-ministro do Meio Ambiente da Noruega, Solheim conheceu na tarde desta quinta-feira as instalações e o entorno do Parque Olímpico do Rio, localizado na zona oeste da cidade. Ele se mostrou surpreso e feliz por constatar a presença de espécies de fauna e flora na Lagoa de Jacarepaguá.

Ele reparou não apenas na poluição, mas também na presença de aves e capivaras vivendo no ecossistema. Segundo ele, a princípio, esta pode ser considerada uma pequena constatação, mas tem uma representatividade muito grande em termos da visão de sustentabilidade que os Jogos do Rio podem apresentar ao mundo.

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Jornalista, pós-graduado em Ciências Ambientais (UFRJ); 20 anos de experiência na área de comunicação, jornalismo, edição de livros, revistas, sites, blogs e gestão de equipes; consultor/formador do primeiro Curso de Comunicação e Jornalismo Ambiental promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD, São Tomé e Príncipe, setembro 2014); integrante da Delegação Oficial da Câmara Brasil Alemanha para visita à IFAT Entsorga 2010 (Feira Internacional de Água, Esgoto, Lixo e Reciclagem), em Munich (Alemanha); organizador e coautor do livro “A Questão ambiental – Desenvolvimento e Sustentabilidade (Rio de Janeiro: Funenseg, 2004); autor de artigos, palestrante e mediador (congressos, debates, painéis) nas áreas de comunicação, seguro, meio ambiente, educação ambiental e sustentabilidade; coautor do projeto “Proposta de ações de educação ambiental para a Ilha Primeira, Barra da Tijuca – RJ” (Brasil, 2005); editor, videomaker e jurado de festivais de cinema ambiental.
Esse post foi publicado em Cidadania, Cidadania e Meio Ambiente, Cidadania e Sustentabilidade, Cidades Sustentáveis, Comunicação, Comunicação Ambiental, Consciência ambiental, Rio 2016 e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s