Emissões de CO2 param de subir no mundo pela primeira vez em 40 anos

É a primeira vez em 40 anos que as emissões de CO2 ficaram estagnadas, enquanto a economia do mundo cresceu 3%

As emissões globais de dióxido de carbono (CO2) do setor de energia pararam de subir em 2014, ao mesmo tempo em que a economia do planeta cresceu 3%.

Segundo relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), divulgado na última sexta-feira (13), é a primeira vez que isso acontece em 40 anos — exceto em anos com crise econômica, como 1992 e 2009.

De acordo com um comunicado, no ano passado as emissões do gás poluente foram de​ 32,3 bilhões de toneladas em 2014, na comparação a 2013.

“É uma surpresa um tanto bem-vinda como uma das mais importantes”, disse o economista-chefe da AIE, Fatih Birol, em comunicado. “Me dá ainda mais esperança de que a humanidade será capaz de trabalhar em conjunto para combater a mudança climática, a ameaça mais importante para nós hoje.”

A AIE, que tem como foco o aconselhamento dos governos de países desenvolvidos, afirmou que a paralisação do crescimento das emissões está ligada a padrões ecológicos de consumo de energia na China, o maior país emissor de carbono, à frente dos Estados Unidos, e em nações desenvolvidas.

“Na China, 2014 viu uma maior geração de eletricidade a partir de fontes renováveis, como energia hidráulica, solar e eólica, e menos queima de carvão”, afirmou.

Rumo a Paris

Birol disse que os dados fornecem “uma força muito necessária aos negociadores que se preparam para alcançar um acordo climático global em Paris em dezembro: pela primeira vez, as emissões de gases de efeito estufa estão se dissociando do crescimento econômico”.

A COP 21, cúpula das Nações Unidas que deve acontecer em Paris, tem o objetivo de obter um acordo para limitar as emissões globais que, segundo um painel internacional de cientistas, o IPCC, são responsáveis por provocar mais ondas de calor, inundações e elevação do nível do mar.

A AIE afirmou que as emissões de carbono estão estagnando ou caíram apenas três vezes desde que começou a coleta de dados há 40 anos, sendo anteriormente ligada a quedas econômicas – no início dos anos 1980, em 1992 e 2009. Em 2014, no entanto, a economia global cresceu 3%.

“Esses números mostram que o crescimento verde é viável não apenas para a Grã-Bretanha, mas para o mundo”, disse o secretário de Energia e Mudança Climática britânico, Ed Davey. “No entanto, não podemos ser complacentes, precisamos cortar drasticamente as emissões, não apenas conter o seu crescimento.”

 

Envolverde / AIE

Anúncios

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Executivo de Comunicação I Assessor Estratégico I Sustentabilidade/Baixo Carbono I Editor I Editor do blog TerraGaia //// Executive of Communication I Strategic Advisor I Sustainability/Low Carbon I Editor I TerraGaia blog Editor.
Esse post foi publicado em Aquecimento global, Cambio climático, Carbono, Clima, Climate Change, Energia, Gases do Efeito Estufa, Impactos ambientais, Jornalismo Ambiental, Mudança climática, Poluição e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s