Nordeste é a nova fronteira elétrica

Até 2023, 60% da geração de energia da região será de fontes alternativas, como eólica e solar; juntas, usinas somarão 22 mil MW.

Por Renée Pereira

Depois de quase esgotar o seu potencial hidrelétrico na década de 90, o Nordeste ressurge como a grande sensação da energia alternativa. Até 2023, a geração de novas fontes renováveis – como eólica e solar – vai representar 60% da matriz elétrica da região. Juntas, as usinas vão somar 22 mil megawatts (MW) de potência instalada, mais que o dobro da atual capacidade hídrica do Nordeste (de 10,8 mil MW) e quase metade da geração alternativa prevista para o País, segundo o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE) 2023.

Anúncios

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Gestor de Comunicação para Sustentabilidade, Assessor Corporativo de Transição para uma Sociedade de Baixo Carbono, editor do blog TerraGaia. //// Communication Manager for Sustainability, Corporate Advisor for Transition to a Low Carbon Society, TerraGaia blog editor.
Esse post foi publicado em Cidades Sustentáveis, Comunidades, Consciência ambiental, Consumo, Desenvolvimento sustentável, Economia, Economia Verde-Green Economy, Empresas, Energia, Energia eólica, Energia fotovoltaica, Energia nuclear, Energia solar, Energias renováveis, Gestão sustentável, Jornalismo Ambiental, Responsabilidade Social Empresarial RSE, Responsabilidade socioambiental, Sustentabilidade, Tecnologia ambiental e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s