10 gigantes dos alimentos que afetam o planeta como um país

Juntas, se fossem um país, estas empresas seriam a 25ª nação com maior emissão de gases efeito estufa no mundo, aponta novo relatório da Oxfam

Por Vanessa Barbosa, de Exame.com

São Paulo – A produção de alimentos é, de longe, uma das atividades mais ameaçadas pelas mudanças climáticas. Mas ela também contribui para o problema. Juntas, as 10 maiores empresas do setor emitem mais gases efeito estufa (GEE) na atmosfera que grandes produtores de petróleo e gás como Emirados Árabes e Catar.

É o que aponta um novo relatório da ONG britânica Oxfam, divulgado nesta terça-feira (20). Se fossem um país, estas gigantes da indústria de alimento e bebidas seriam a 25ª nação com maior emissão de GEE.

Elas representam algumas das marcas mais famosas do mundo doméstico: Associated British Foods, Coca-Cola, Danone, General Mills, Kellogg, Mars, Mondelez International, Nestlé, PepsiCo e Unilever.

Associated British Foods, Coca-Cola, Danone, General Mills, Kellogg, Mars, Mondelez International, Nestlé, PepsiCo e Unilever: as 10 maiores indústrias de alimentos emissoras de carbono e GEE gases do efeito estufa - Fonte: OXFAM 20 de maio de 2014

Associated British Foods, Coca-Cola, Danone, General Mills, Kellogg, Mars, Mondelez International, Nestlé, PepsiCo e Unilever: as 10 maiores indústrias de alimentos emissoras de carbono e GEE gases do efeito estufa – Fonte: OXFAM 20 de maio de 2014

Partindo de uma análise crítica das políticas de mudanças climáticas adotadas por cada uma, a Oxfam adverte que essas empresas estão arriscando sua própria saúde financeira “se não fizerem mais para enfrentar a crise climática, usando sua influência e tamanho”.

Para fazer frente às ameaças, o relatório sugere que as chamadas “Big 10” cortem suas emissões combinadas em pelo menos 80 milhões de toneladas até 2020. Isso seria equivalente a tirar das ruas todos os carros de Los Angeles, Pequim, Londres e Nova York.

Os dados sobre as emissões das empresas foram obtidos a partir do Carbon Disclosure Project (CDP), plataforma referência mundial em reporte de emissões nos negócios.

De acordo com o estudo, juntas essas 10 gigantes emitem 263,7 milhões de toneladas de gases efeito estufa por ano. É mais as emissões combinadas da Finlândia, Suécia, Dinamarca e Noruega.

Do total, 29,8 milhões de toneladas se originam das operações, e mais da metade vem da produção agrícola de suas cadeias de fornecimento, que não fazem parte dos planos internos de redução de emissões das empresas.

É por essas emissões agrícolas que a Oxfam acusa as empresas de serem “particularmente negligentes” e as incita a rever seu métodos de produção e ações de combate às mudanças climáticas.

Políticas de combate às emissões da produção agrícola da cadeia de suprimentos:

APC - 2014.05.20 15.04 - 001.3d

Fonte: Relatório Standing On The Sideline, da Oxfam

Gangorra de preços e prejuízos

O estudo destaca ainda que os eventos extremos afetam o abastecimento de alimentos e pressionam os preços, causando mais fome e pobreza.

Especialistas preveem que até 2050, 50 milhões de pessoas deverão ser lançadas à fome por causa das mudanças climáticas.

Algumas das empresas admitem que o fenômeno já está começando a prejudicá-los financeiramente.

A Unilever, segundo o relatório, relata que perde 415 milhões de dólares por ano, enquanto a General Mills informou perder 62 dias de produção no primeiro trimestre fiscal de 2014 só por causa de condições climáticas extremas.

Se as empresas não mudarem sua estratégia de ação frente às mudanças climáticas, pelos cálculos da Oxfam, o preço de produtos essenciais, como flocos de milho Kellogg e cereais da General Mills podem aumentar 44% nos próximos 15 anos.

“A indústria de alimentos tem um imperativo moral e uma responsabilidade empresarial para intensificar dramaticamente os seus esforços para combater as alterações climáticas”, disse o diretor-executivo da Oxfam Winnie Byanyima.

Anúncios

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Executivo de Comunicação I Assessor Estratégico I Sustentabilidade/Baixo Carbono I Editor I Editor do blog TerraGaia //// Executive of Communication I Strategic Advisor I Sustainability/Low Carbon I Editor I TerraGaia blog Editor.
Esse post foi publicado em Agricultura, Aquecimento global, Cambio climático, Carbono, Clima, Climate Change, Consumo, Economia, Economia Verde-Green Economy, Empresas, Gases do Efeito Estufa, Impactos ambientais, Mudança climática, Pesquisas ambientais, Responsabilidade corporativa, Responsabilidade Social Empresarial RSE, Responsabilidade socioambiental e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s