Pesquisa: aproveitamento de água da chuva deve ser local

Por Paloma Rodrigues – paloma.rodrigues@usp.br, da Agência USP de Notícias

Na Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP foi desenvolvido um modelo de gestão integrada de drenagem e aproveitamento da água proveniente de chuvas e do reúso do esgoto sanitário. Para a elaboração do modelo, o tecnólogo em saneamento Ricardo Camilo Galavoti avaliou três tipos de cobertura — telhado de zinco, Cobertura Verde Leve (CVL) e Tetra Pak. Já para o esgoto sanitário tratado, a pesquisa propôs modificações para um sistema de biodigestão desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), visando seu reúso em escala de lote domiciliar. “Precisamos começar a pensar em reutilização local, pois isso é muito mais viável que pensar em um sistema de reaproveitamento de grande porte”, diz Galavoti.

Um dos principais objetivos foi verificar a influência que o material de cobertura de telhados exerce sobre a qualidade da água da chuva. A gestão integrada consiste em elaborar um modelo que culmine na racionalização do uso de água, com o reaproveitamento da água proveniente da chuva. Os testes foram realizados em escaladas de lote residencial, que no caso da cidade de São Carlos, no interior de São Paulo, tem o padrão com áreas de 250 metros quadrados (m²). Os testes foram realizados em um lote experimental, montado no campus da USP, em São Carlos.

“Queríamos ver a influência que o tipo de material tinha sobre a qualidade da água da chuva armazenada e, para isso, avaliamos os prós e contras de cada sistema”, diz ele. Uma das coberturas, chamada de Cobertura Verde Leve (CVL) retém uma grande quantidade de águas pluviais, enquanto as demais favorecem o escoamento das águas com um melhor padrão de qualidade. Em todos os sistemas de água foram feitas instalações hidráulicas e mecânicas.

Dentre as diversas sugestões feita por Galavoti para 0 tratamento de esgoto sanitário está a melhoria do sistema de desinfecção por raios ultravioleta  e, se necessário, associar essa tecnologia à desinfecção com cloro em pastilhas, mecanismo de baixo custo que pode ser usado tanto para tratamento de esgoto sanitário quanto para tratamento de águas pluviais.

Reaproveitamento local
A inovação não foi no campo dos materiais utilizados, pois eles podem ser encontrados em lojas especializadas. O fator que trouxe novidade para o trabalho foi a concepção e as possíveis propostas que podem decorrer dela. “A primeira questão é que não tem muitos sistemas montados. Não se trata de um sistema tão difundido. No nosso caso, criamos um tratamento em lócus, ou seja, no local. A partir disso desenvolvemos um estudo de qualidade com diversos parâmetros. Isso foi inovador”, avalia o pesquisador.

A tese de doutorado Proposta de um modelo de gestão integrada de águas urbanas em escala de lote residencial: alcances e limitações foi orientada pelo professor Eduardo Mario Mendiondo. Em seu estudo, Galavoti conseguiu mostrar quais metais inviabilizam o uso das águas pluviais para uso potável. Isso permite que se faça um tratamento local da água, em contraponto aos grandes sistemas de tratamento.

Segundo o tecnólogo, o foco da pesquisa foi o de fomentar uma nova abordagem para a política de águas urbanas no Brasil, que possa ser gerida a partir de uma escala de microdrenagem, ou seja, a partir de lotes residenciais. “É preciso pensar em reutilizar em pequeno porte, priorizando a questão da qualidade da água e também a prevenção de desastres naturais, como enchentes e inundações”.

Mais informações: email galavoti@sc.usp.br

Anúncios

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Executivo de Comunicação I Assessor Estratégico I Sustentabilidade/Baixo Carbono I Editor I Editor do blog TerraGaia //// Executive of Communication I Strategic Advisor I Sustainability/Low Carbon I Editor I TerraGaia blog Editor.
Esse post foi publicado em Agricultura, Água, Águas residuais, Consciência ambiental, Consumo, Descarte de resíduos, Estudos ambientais, Pesquisa acadêmica, Potencial econômico, Projetos ambientais, Reaproveitamento, Recursos naturais, Saúde, Sustentabilidade, Tecnologia ambiental e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Pesquisa: aproveitamento de água da chuva deve ser local

  1. se o reaproveitamento da a água da chuva, localmente, ajuda realmente a obter uma maior qualidade de água potável e a prevenir contra os desastres naturais, torna-se extremamente importante investir nessa tecnologia…pois a água potável e muito essencial para nossa vida e os desastres naturais que grande parte das vezes são consequências dos atos do humanos,torna-se cada vez mais frequente e ameaçador…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s