Rio+20: Dilma encerra Conferência e exalta conquistas de “O Futuro que Nós Queremos”

Dilma e Ban Ki-Moon batem o martelo e encerram a Rio+20: "Um passo histórico foi dado para um mundo mais justo e mais próspero."  Foto Antonio Carlos Teixeira

Dilma e Ban Ki-Moon batem o martelo e encerram a Rio+20: “Um passo histórico foi dado para um mundo mais justo e mais próspero.” Foto Antonio Carlos Teixeira

 

Por Antonio Carlos Teixeira, editor do blog TerraGaia

“Um passo histórico foi dado para um mundo mais justo e mais próspero.”  Com essas palavras, a presidente brasileira Dilma Rousseff começou o seu discurso de encerramento da Rio+20. Na conferência que chamou de “a mais participativa da nossa história”, Dilma disse que O documento aprovado, chamado “O Futuro que  Nós Queremos” não retrocede nas conquistas que o mundo teve sobre desenvolvimento sustentável. “Ao contrário, avança”, ressaltou ela, ao citar o fortalecimento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA). “O Brasil está contribuindo com US$  milhões para que o PNUMA possa ajudar países mais pobres e insulares nas suas políticas de desenvolvimento sustentável”, anunciou.

Os discursos finais começaram com palavras de protesto e “ressalvas” ao texto final, por parte das delegações de Venezuela, Peru, Equador e Islândia. A ministra islandesa do Meio Ambiente, Dóris Leuthard, protestou contra a retirada da parte do documento que falava dos direitos reprodutivos das mulheres. Foi aplaudida.

Antes de Dilma, o secretário da Rio+20, Sha Zukang (que anunciou mais cedo que deixará a ONU), agradeceu à “extraordinária liderança do Brasil” durante a conferência e ressaltou que “o desenvolvimento sustentável é o único caminho para o planeta e a humanidade. Temos que continuar essa jornada.”

Já o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, disse em pronunciamento final que o documento aprovado na Rio+20 “é apenas o começo.” “O caminho começa agora. A estrada será longa e dura, pois muitas pessoas ainda passam fome no mundo”, enfatizou ele, que ontem havia manifestado nitidamente a sua insatisfação com o documento aprovado, falando, inclusive, que tinha faltado “ambição e coragem” ao texto.

A presidente brasileira disse ainda que o “futuro sustentável deve prevalecer sobre a crise que estamos passando, especialmente a Europa.” Segundo ela, as conquistas da Rio+20 farão o mundo avançar. “Saúdo a todos que permitiram a aprovação desse documento”, manifestou. Dilma também saudou os movimentos sociais que participaram da Rio+20, como a Cúpula dos Povos, e também todas as manifestações vindas de mulheres, jovens e indígenas pelas ruas do Rio de Janeiro.”O Rio de Janeiro mostrou, mais uma vez, a vibrante hospitalidade do povo brasileiro. As manifestações populares ocorridas na cidade foram a expressão da participação cidadã na Rio+20. Manifesto sinceros agradecimentos em nome do Brasil e do povo brasileiro,” saudou.

A presidente também saudou os empresários e disse que o sucesso da conferência também se deve em parte a eles. “Reafirmamos na Rio+20 que o multilateralismo é a via legítima para as soluções de problemas que atinge a todos,” apontou.

A presidente brasileira acredita que a conferência terá uma influência ativa e atuante nas novas gerações. “Estou convencida de que, assim como em 1992, a Rio+20 terá um efeito multiplicador para as gerações jovens”, enfatizou. Ao final, Dilma convidou todos para a Copa do Mundo de 2014 (que será realizada no Brasil e o Rio é uma das cidades-sede), bateu o martelo ao lado de Ban Ki-Moon e desejou: “Que o espírito do Rio esteja em todos nós. Declaro encerrada esta conferência.”

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Jornalista, pós-graduado em Ciências Ambientais (UFRJ); 20 anos de experiência na área de comunicação, jornalismo, edição de livros, revistas, sites, blogs e gestão de equipes; consultor/formador do primeiro Curso de Comunicação e Jornalismo Ambiental promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD, São Tomé e Príncipe, setembro 2014); integrante da Delegação Oficial da Câmara Brasil Alemanha para visita à IFAT Entsorga 2010 (Feira Internacional de Água, Esgoto, Lixo e Reciclagem), em Munich (Alemanha); organizador e coautor do livro “A Questão ambiental – Desenvolvimento e Sustentabilidade (Rio de Janeiro: Funenseg, 2004); autor de artigos, palestrante e mediador (congressos, debates, painéis) nas áreas de comunicação, seguro, meio ambiente, educação ambiental e sustentabilidade; coautor do projeto “Proposta de ações de educação ambiental para a Ilha Primeira, Barra da Tijuca – RJ” (Brasil, 2005); editor, videomaker e jurado de festivais de cinema ambiental.
Esse post foi publicado em Comunidades, Consciência ambiental, Desenvolvimento sustentável, Empresas, Impactos ambientais, Responsabilidade corporativa, Responsabilidade social, Responsabilidade Social Empresarial RSE, Responsabilidade socioambiental, Rio de Janeiro, Rio+20, Solidariedade, Sustentabilidade e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s