Rio+20: Alto Comissário pede ação conjunta para refugiados e deslocados em zonas urbanas

Do ACNUR Brasil

RIO DE JANEIRO, 22 de junho de 2012 (ACNUR) – O Alto Comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, fez um apelo às organizações internacionais para que trabalhem em parceria com comunidades locais e autoridades nacionais na elaboração de soluções para aqueles que se deslocam para as cidades, forçadamente ou não, em busca de melhores condições de vida.

Em evento paralelo realizado quarta-feira durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), Guterres pediu à comunidade internacional que chegue a um acordo sobre princípios orientadores que assegurem a proteção de pessoas forçadas a cruzar fronteiras devido a desastres naturais relacionados a mudanças climáticas.

“Neste contexto, o nome do jogo é parceria”, disse Guterres. “Um sistema apropriado de proteção para esta população deve resultar dos esforços de autoridades locais, sociedade civil, organizações representativas dos refugiados e deslocados, assim como governos e organizações internacionais. Devemos trabalhar juntos”.

O evento organizado pelo ACNUR e pela Organização Internacional para Migrações (OIM), destacou a vulnerabilidade de migrantes, deslocados e refugiados que vivem nas cidades, reunindo os chefes das três principais organizações que trabalham no setor.

Também participaram do evento o Diretor Geral da OIM, Willian Swing, e a Representante Especial do Secretário Geral da ONU para Redução do Risco de Desastres, Margareta Wahlström. A cerimônia também contou com a presença da Coordenadora Executiva da Rio+20, Elizabeth Thompson, e do Ministro das Relações Exteriores de Bangladesh, Mohamed Mijarul Quayes.

O apelo de Guterres por parcerias fez eco entre os painelistas. “Levantar muros não freará as ondas migratórias”, afirmou o Diretor Geral da OIM. “As sociedades precisam abraçar o multiculturalismo, já que a migração continuará sendo uma questão chave no século 21”.

O Alto Comissário lembrou aos participantes que a urbanização é uma “megatendência” e observou que mais de 50% da população sob o mandato do ACNUR vivem em áreas pobres das cidades, onde normalmente existe carência de serviços básicos. A interação entre urbanização e outras tendências, como o aumento populacional, escassez de água, insegurança alimentar e mudança climática, é a “característica mais marcante de nosso tempo” afirmou.

Leia a íntegra em http://www.acnur.org/t3/portugues/

Anúncios

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Executivo de Comunicação I Assessor Estratégico I Sustentabilidade/Baixo Carbono I Editor I Editor do blog TerraGaia //// Executive of Communication I Strategic Advisor I Sustainability/Low Carbon I Editor I TerraGaia blog Editor.
Esse post foi publicado em Ajuda humanitária, Clima, Comunidades, Impactos ambientais, Mudança climática, Responsabilidade social, Rio+20, Solidariedade e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s