Rio+20: Painel de Alto Nível da ONU lança relatório “Povos Resilientes, Planeta Resiliente: um futuro digno de escolha”

Por Antonio Carlos Teixeira, editor do blog TerraGaia

 

O relatório do Painel de Alto Nível do Secretariado Geral das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Global “Povos Resilientes, Planeta Resiliente: um futuro digno de escolha” foi lançado hoje durante a Rio+20.

Tarja Halonen, presidente da Finlândia e co-presidente do Painel, disse que o trabalho do Grupo não termina na Rio+20. “Esperamos ter alguma influência na Conferência. Esse relatório foi produzido neste sentido”, avaliou.

De acordo com o documento: “O nosso planeta e o nosso mundo estão vivendo hoje o melhor dos tempos e o pior dos tempos. O mundo vive uma prosperidade inédita, enquanto o planeta está sob uma pressão sem precedentes. A desigualdade entre os ricos e pobres do mundo está aumentando e mais de um bilhão de pessoas ainda vivem na pobreza. Em muitos países, há ondas crescentes de protesto que refletem as aspirações universais por um mundo mais próspero, justo e sustentável.”

“O relatório do Painel é um documento que fala por si só”, disse Gro Harlem Brundtland, presidente da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento e membro do Painel. Para ela, o documento é útil para todos os que se interessam por questões “tão complidadas e interessantes ao mesmo tempo”. “A Terra tem limites e isso deve ser levado a sério”, frisou.

Tarja Halonen (esq.) e Gro Harlem Brundtland no lançamento do relatório do Painel de Alto Nível da ONU: A Terra tem limites e isso deve ser levado a sério”. Foto Antonio Carlos Teixeira

Tarja Halonen (esq.) e Gro Harlem Brundtland no lançamento do relatório do Painel de Alto Nível da ONU: A Terra tem limites e isso deve ser levado a sério”. Foto Antonio Carlos Teixeira

Diz o relatório do Painel de Alto Nível da ONU: “O modelo de desenvolvimento global é insustentável. Não podemos mais presumir que nossas ações coletivas não irão desencadear pontos de ruptura ao ultrapassarem-se limiares ambientais, arriscando a ocorrência de danos irreversíveis tanto aos ecossistemas quanto às comunidades humanas. Ao mesmo tempo, esses limites não devem ser usados para impor tetos de crescimento arbitrários aos países em desenvolvimento que buscam retirar seu povo da pobreza. De fato, se não resolvermos o dilema do desenvolvimento sustentável, corremos o risco de condenar até 3 bilhões de membros da nossa família humana a uma vida de pobreza endêmica. Nenhum desses resultados é aceitável e precisamos encontrar um novo caminho.”

Brundtland disse que a visão do Painel constante no relatório é de promover o desenvolvimento sustentável, combater a mudança climática, respeitar a biodiversidade e cuidar do capital natural. “Precisamos levar estas questões a sério. Os cientistas estão nos chamando a atenção para esses pontos”, ressaltou ela, autora em 1987 do documento da ONU “Nosso Futuro Comum”, conhecido também como Relatório Brundtland.

Tarja Halonen confirmou que todas as recomendações propostas no relatório serão encaminhadas ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon e espera que elas sejam implementadas de acordo com as competências da Organiação. “Esperamos que essas recomendações avancem. Que essas ideias cresçam e continuem”, ressaltou.

O relatório do Painel de Alto Nível do Secretariado Geral das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Global “Povos Resilientes, Planeta Resiliente: um futuro digno de escolha” pode ser acessado em http://www.un.org/gsp.

Sobre Antonio Carlos Teixeira

Jornalista, pós-graduado em Ciências Ambientais (UFRJ); 20 anos de experiência na área de comunicação, jornalismo, edição de livros, revistas, sites, blogs e gestão de equipes; consultor/formador do primeiro Curso de Comunicação e Jornalismo Ambiental promovido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD, São Tomé e Príncipe, setembro 2014); integrante da Delegação Oficial da Câmara Brasil Alemanha para visita à IFAT Entsorga 2010 (Feira Internacional de Água, Esgoto, Lixo e Reciclagem), em Munich (Alemanha); organizador e coautor do livro “A Questão ambiental – Desenvolvimento e Sustentabilidade (Rio de Janeiro: Funenseg, 2004); autor de artigos, palestrante e mediador (congressos, debates, painéis) nas áreas de comunicação, seguro, meio ambiente, educação ambiental e sustentabilidade; coautor do projeto “Proposta de ações de educação ambiental para a Ilha Primeira, Barra da Tijuca – RJ” (Brasil, 2005); editor, videomaker e jurado de festivais de cinema ambiental.
Esse post foi publicado em Aquecimento global, Biodiversidade, Clima, Conservação, Desenvolvimento sustentável, Economia Verde-Green Economy, Energia, Energias renováveis, Estudos ambientais, Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, Publicações, Responsabilidade socioambiental, Rio+20 e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s